Facebook encerra modelo de live shopping para investir em Reels

Meta passa a destinar seus esforços em vídeos curtos. Sistema de compras ao vivo funcionará até 1º de outubro.

O Facebook está encerrando o serviço as compras ao vivo, seu recurso de transmissão ao vivo que permite que os criadores de conteúdo transmitam e vendam produtos na plataforma. O recurso será encerrado oficialmente em 1º de outubro, e o motivo para a descontinuidade é de que a Meta quer concentrar os esforços em vídeos curtos e nos próprios Reels do Facebook. A decisão busca atender o comportamento do consumidor, segundo comunicado emitido. O recurso de compras, no entanto, continuará disponível no Instagram.

Lançado pela primeira vez em 2018 na Tailândia, as compras ao vivo abriram oportunidades de receita para os criadores de conteúdo. Com ela, é possível que os influenciadores organizem suas próprias sessões de compras ao vivo, onde podem exibir e vender uma variedade de produtos, seja de sua própria loja ou por meio de um afiliado.

O Facebook lançou o recurso em uma escala mais ampla em 2020, na mesma época em que introduziu uma guia exclusiva de compras. Embora as compras ao vivo continuem sendo muito populares na China, elas simplesmente não parecem ter decolado em outras partes do mundo. Até o TikTok anunciou no mês passado estar retirando as ferramenta nos EUA e na Europa.

A dedicação da Meta em fazer dos vídeos curtos sua nova mina de ouro é uma tentativa de se aproximar de seu maior concorrente, o TikTok. A ênfase no Reels vem despertando preocupações entre os usuários de longa data do Instagram que conheceram o aplicativo como uma forma de compartilhar fotos com amigos. O CEO do Instagram, Adam Mosseri, foi recebido com indignação depois de dizer aos usuários que a plataforma se tornaria centrada em vídeo, levando o Instagram a mudar algumas de suas decisões.

Por Paulo Paolucci
Divulga mais Brasil

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin